Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

20190816 A QUERENCIA DO EQUILIBRIO Capa

 

O ser humano está acostumado a constâncias. Poucos são aqueles que gostam da novidade, da mudança de rota compulsória, e chuto dizer que mesmo esses devem ter um porto seguro, uma casa de mãe para voltar de vez em quando. Vejam, meus amigos, há 1 mês escrevi que devíamos nos deixar levar pela efemeridade do otimismo local dos mercados, embora meus pés estivessem dois passos atrás, como eu mesma deixei claro. E hoje eu venho aqui para lhes falar de não se contagiarem tanto pelo mau humor imposto nesses últimos 10 dias, pois há saídas. Nem tanto ao céu, nem tanto à terra.

 

E na busca desse equilíbrio, chartvamos entender o que está atrás dessa onda pessimista que se instalou e levou a taxa de câmbio a patamares temíveis de US$/R$ 4,00. Primeiro, temos que nos colocar em nosso lugar: somos emergentes. E aí, meus queridos, é difícil nos concentrarmos somente na nossa vida comezinha, quando tem mundão ditando os fluxos financeiros. E todo aquele entusiasmo instalado em julho ocorreu sem fluxo financeiro estrangeiro no Brasil. A conclusão é que bastou apitar o primeiro sinal de incêndio, para o mercado sair correndo atrás do seu porto seguro, e o dólar se fortaleceu.

 

Esse apito foi acionado pelo presidente Trump, anunciando novas tarifas para a importação de produtos chineses em 1º de agosto, mais um capítulo dentro da série – Guerra Comercial EUA x China. Só que nesta temporada, a China voltou fortalecida e retaliou, depreciando sua moeda. Pronto! Chegou a aversão ao risco para mercados emergentes.

 

E nesse ínterim, observou-se Inversão da curva de treasuries pela primeira vez em 12 anos. Explico: esse movimento dá-se quando o rendimento pago a investidores com aplicações no curto prazo fica mais alto que os pagos para posições de longo prazo. E esse movimento é historicamente um precedente de recessão. De fato, por mais que a economia dos EUA tenha mostrado dados ainda fortes, desde o início do ano já há uma expectativa de que, em algum momento, essa guerra comercial combinada com uma inflação fraca nos países desenvolvidos, vai levar a uma recessão global! Lembro bem de uma pesquisa veiculada em janeiro em que 25% do mercado financeiro global já esperava uma recessão em meados de 2020.

 

Uma recessão global, movida por EUA e China, sem dúvidas aumenta ainda mais o movimento de aversão ao risco e saída de fluxo de capitais dos pobres países emergentes. É isso que tem acontecido nesses últimos dias.

 

Que nos resta? Bom, desculpem-me vangloriar neste momento de dor, mas essa era uma bola cantada desde o início do ano.  Uma saída seria a reversão, mesmo que ilusória, desse cenário a partir de uma conciliação entre EUA e China, ou ao menos a divulgação de uma nova temporada da série, gerando expectativas positivas. E aí, pouco a pouco, os investidores sairiam do porto seguro para se aventurarem. 

 

Ou — a alternativa de que mais gosto —  é o Brasil tentar se destacar na multidão, e ao menos gerarmos boas notícias suficientes para equilibrar o cenário internacional. Em outras palavras, se fizemos o dever de casa direitinho, continuarmos investindo tempo e disposição em reformas e ganhos de infraestrutura, o Brasil pode ser uma boa história para contar num mundo prejudicado.

 

Ora, se tivermos isso, a atração de capital mesmo a taxas de juros historicamente baixas (estima-se que a taxa Selic vá a 5,25% a.a.), temos chances de ganhar um pouquinho de dinheiro do mundo, seja para portfólio de mercado, seja para investimentos. E conseguirmos equilibrar parte desse mau humor aí. #vemgringos

       
       

Logo Horizontal Dourado

“O Grupo Ourinvest trabalha a Abordagem da Inovação Responsável,
buscando aperfeiçoar a cada dia os conceitos que fizeram com que
o grupo se destacasse nas últimas quatro décadas.”

Banco Ourinvest S.A. - CNPJ nº 78.632.767/0001-20
Edifício Ourinvest | Av. Paulista, nº 1.728
Bela Vista CEP 01310-919 - São Paulo - SP

Telefone: (55 11)
4081-4444
Atendimento ao Deficiente Auditivo:(55 11) 3171-3003
Ouvidoria do Ourinvest:
0800-603-4444 | 0800-775-4000

Assessoria de Imprensa: imprensa@ourinvest.com.br

 

googleplay